Meu Grito
Vânia Moreira Diniz

Foto de Fernanda Moreira Diniz

Meu grito é de amor,

Meu grito é de dor,

Meu grito é de compreensão
E ecoa dentro do coração.

 

Meu grito transborda minha alma,

Ultrapassa os momentos  de certeza,

Meu grito vibra, tremula e alucina,

Para depois erguer-se na confiança.

Meu grito pede, exige e implora.

 

Meu grito ultrapassou os anos,

Questionou os momentos de insegurança,

Viveu em meio às dores e vacilações,

Meu grito refletiu ansiedades da incerteza.

E espargiu frenesi e alucinações.

 

Meu grito sofreu nas aflições alheias,

Dilacerando minhas entranhas e

Procurando uma trégua em seus sons

Pedindo-me singularmente calma,

Meu grito é de profundidade e agonia.

 

Meu grito é de amor,

Meu grito é de desejo,

Meu grito quer apenas compor,

Meu canto de liberdade e esplendor.

Meu grito é de solidariedade e calor.

 

Meu grito se mistura a sons intensos,

Que pedem suavidade e inclusão,

Simbolizam tristemente  opressão

E se esvaem pelos confins do mundo.

Vânia Moreira Diniz

Melhor visualizado em resolução 1024×768 e

navegadores Internet Explorer 4.0 ou Superior

Página produzida por Vânia Moreira Diniz e José Carlos Neves Rosa